Gilda Santos, Real Gabinete Português de Leitura

25.05.2017, 09.30-10.50, Biblioteca Nacional de Portugal

Real Gabinete Português de Leitura

Fundado em 1837 por um seleto grupo de portugueses radicados no Rio de Janeiro, o Real Gabinete Português de Leitura é o hoje, em toda a América Latina, a mais antiga biblioteca criada por emigrantes e em funcionamento ininterrupto ao longo de seus quase 180 anos. Desde logo preocupados em dotar a casa de um acervo precioso, seus dirigentes não descuraram dos jornais e revistas que vieram a formar parte muito significativa de seus registros — sobretudo os oitocentistas. Na busca de preservar e dar visibilidade aos periódicos da casa, inesgotável fonte de pesquisas multidisciplinares, cabe destacar o bem-sucedido projeto “O Real em Revista”, apoiado pela Petrobras e desenvolvido de jan./2014 a jul./2015. Graças aos bons frutos daí advindos, delineiam-se novos projetos voltados para coleções de periódicos, bem como planos de cooperação com instituições similares.

Gilda Santos é licenciada, mestre e doutora pela Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde lecionou Literatura Portuguesa (1975 -2006) e criou, em 1999, a Cátedra Jorge de Sena para Estudos Literários Luso-Afro-Brasileiros, sendo sua regente até 2006. Pesquisadora do CNPq (1992-2006), realizou pesquisas de Pós-Doutorado junto à Univ. California/ Santa Barbara (1992-3) e junto à Biblioteca Nacional de Portugal (2005). Participa como Pesquisadora-convidada no Centro de Literaturas de Expressão Portuguesa das Universidades de Lisboa (CLEPUL) e no CREPAL – Centre de recherches sur les pays lusophones, da Univ. Sorbonne Nouvelle, Paris III. Como Vice-Presidente do Real Gabinete Português de Leitura (responsável pelo Centro de Estudos), dirigiu a revista Convergência Lusíada (1992-2007) e criou, em 2001, o Polo de Pesquisas Luso-Brasileiras (PPLB), sendo sua Coordenadora-Geral desde então e até o momento, respondendo por inúmeras atividades e projetos privilegiando o diálogo luso-brasileiro. No Brasil e internacionalmente, participou de muitos encontros científicos, publicou textos, organizou numerosos eventos, coordenou edições de livros e periódicos e continua a integrar conselhos editoriais de várias revistas acadêmicas da área de Letras. Como responsável pelo site “Ler Jorge de Sena” (criado em 2010), recebeu o “Prêmio Jorge de Sena/ 2014”, gerido pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Do Governo Português, outorgada pelo Presidente Jorge Sampaio, recebeu a Comenda da Ordem do Mérito (1997), a Medalha de Mérito das Comunidades Portuguesas (2004) e, outorgada pelo atual Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, a Medalha do Mérito Cultural (2016).

%d bloggers like this: