Tereza Sena é licenciada em História (FLL, 1981), post-graduada em História das Ideias (FCSH, 1983) e mestre em História dos Séculos XIX e XX (FCSH, 1988). Presentemente é investigadora convidada do Centro de Estudos das Culturas Luso-Ocidentais do Instituto Politécnico de Macau. Investigadora do Instituto Ricci de Macau de 2003 a 2009 foi também editora e co-editora da secção de “History and Culture” da revista Chinese Cross Currents, publicada pelo mesmo Instituto. Responsável pelos Serviços de Investigação e Ciência do Centro Científico e Cultural de Macau, I.P., em Lisboa (a que está vinculada), de 2001 a 2003, chefiou, entre outros, o Gabinete de Estudos, Pesquisa e Publicações do Instituto Cultural de Macau de 1989 a 1997, e o Projecto de Pesquisa de Fontes Comparadas para a História de Macau entre 1988 e 1989, na mesma instituição.

Especialista em Marquês de Pombal, poderes senhoriais e municipais nos finais do Antigo Regime; Vintismo, Sidonismo, Regeneração, Renascença Portuguesa, Inquisição e organização de arquivos privados, dedica-se desde 1988 ao estudo da História, cultura e literatura de Macau, desenvolvendo actividade académica a nível internacional, tendo proferido palestras, participado em conferências e publicado extensivamente (mais de 50 títulos) em Macau, China, Portugal, Estados Unidos da América, Alemanha, Itália, Hong Kong, Tailândia, Japão, Polónia e Hungria. A sua investigação mais recente versa temas relacionados com a História de Macau e seus aspectos historiográficos, bibliográficos, documentais e metodológicos; as questões políticas e autonómicas; a função intermediária desempenhada por Macau no contexto do comércio internacional no Sul da China a partir dos finais do Século XVIII; a missionação na China (Católica e Protestante) dos Séculos XVII ao XIX, e no Sião no Século XVII; as relações Macau-Sião na sua longa duração; e, ainda, a História da Tradução e da Literatura em Macau.

Concebeu e coordenou colecções e edições; prefaciou obras literárias e publicou textos de divulgação, depoimentos e textos filatélicos, para além de recensões literárias, sendo co-autora do CD-ROM sobre a literatura de Macau, Macau nas Palavras (Macau, 1998). Em 2006 organizou, editou e prefaciou a primeira reedição da obra de Wenceslau de Moraes (1854‒1929), Ó-Yoné e Ko-Haru (1923), por solicitação da Imprensa Nacional-Casa da Moeda em 2006 e é autora do prefácio da 4ª edição (2009) do livro de contos de Altino do Tojal, Histórias de Macau (1ª ed., 1987) publicada pelas mesma editora. Assegurou ainda a revisão científica e escreveu as introduções das obras trilingues José Vicente Jorge, um Macaense Ilustre. Fotobiografia, da autoria de Graça Pacheco Jorge e Pedro Barreiros (Macau, 2011) e Thomas Boswell Watson (1815-1860). Impressões de Macau, China ─ Um Álbum Inédito (Macau, 2014).

Vencedora do Prémio Fundação Marquês de Pombal 1994 com o trabalho: A Casa de Oeiras e Pombal. Estado, Senhorio e Património (dissertação de Mestrado, 1987), foi também galardoda com o Prémio de Excelência no Grupo de Tese, na 4ª Edição do Prémio de Estudos de Ciências Sociais e Humanas de Macau 2012/2014, organizado pela Fundação Macau, em parceria com Social Sciences in China Press e GuangDong Social Sciences Association.

Dedica-se presentemente ao estudo de temas relacionados com a História da Tradução e da Mediação Política em Macau e, nomeadamente, ao do tradutor José Vicente Jorge, prosseguindo também a pesquisa sobre outras figuras locais, como Monsenhor Manuel Teixeira (1912‒2003), e sobre as estratégias missionárias em Macau, na China e no Sião dos Séculos XVI a XIX, encontrando-se a finalizar um livro sobre Macau e o Discurso “Estrangeiro” nos Séculos XVI a XIX (Contributos) e a preparar outro sobre A Tradução dos Documentos Chineses e o Estatuto de Macau. O tradutor e mediador eclesiástico (1744-1829).

Anúncios
%d bloggers like this: